QUARESMA

14-02-2011 19:56

 


 
Salve nossos Anjos da Guarda!
A Quaresma é um período em que a Igreja Católica, a Anglicana e protestantes relembram o período entre morte e a ressurreição de Jesus Cristo.
Durante este período os seus fiéis são "convidados" a um período de penitência e meditação.
E na Umbanda, como procede este período?
Outro dia estava lendo uma crônica sobre quaresma e a autora fazia um apelo: Que fossemos Umbandista e que respeitássemos nossos preceitos, nossos fundamentos, nossas doutrina de forma a elevar nossa religião, descortinando a ignorância, aprimorando ou buscando assim, nossa humildade.
Além desse grande apelo havia um questionamento que insiro aqui para uma reflexão: Se a quaresma é um preceito católico, acrescido em nosso calendário por imposição do cristianismo no Brasil, porque há terreiros (tendas) que não trabalham durante este período?
A Umbanda nascida no Brasil, foi FUNDADA pelo Caboclo das 7 encruzilhadas, com incorporação em um médium em 15/11/1908, inaugurando a primeira tenda de Umbanda no Brasil.
Inserida na religiosidade cultural brasileira e abriga princípios, fundamentos e características diferentes em seu sincretismo afro-índio-católico-cardecista básico.
Admitimos Um Deus único, superior e gerador chamado (Zambi, Olorun), que é o criador de tudo e todos.
Cultuamos os Orixás e reverenciamos espíritos chamados Guias.
A orientação espiritual ou doutrinária é feita pelos Guias - espíritos que atuam na Umbanda.
Os guias têm sapiência e consciência da natureza humana e os atributos para que essa humanidade possa evoluir e seguir por um caminho melhor.
Durante a quaresma os templos de Almas e Angola também exercem seus preceitos.
É um período sagrado onde não há incorporação dos Orixás, somente os Pretos (as) Velhos (linha das almas), Exús e Pombos Giras.
Mas por quê?
Até a Constituição brasileira de 1891, a religião oficial do Brasil era a religião católica porque a Igreja e o Estado Brasileiro era um único poder.
Faz 115 anos apenas que há liberdade religiosa no Brasil.
Isto é uma verdadeira dádiva, já que atualmente existem 53 paises onde ainda há religião oficial (religiosidade imposta).
Faz 98 anos de fundação oficial da Umbanda.
Logicamente com tão pouco tempo de aculturamento da liberdade religiosa encontramos os mais antigos colocarem abertamente e sem nenhum tipo de objeção que são “umbandistas e católicos graças a Deus”.
Acredito que a libertação dessa cultura católica-cristã acontecerá de forma homogênea e pacífica, característica básica do povo brasileiro.
Devemos respeitar os mais velhos (grandes anciãos da nossa religião) e com tranqüilidade ensinarmos os mais novos o desapego a crenças de outras religiões, assim como o sincretismo religioso ainda muito utilizado nos nossos templos.
Haverá um tempo que as imagens dos santos católicos estarão nos nossos museus como parte de nossa história e não nos altares como “disfarces” de nossa crença.
Quem viver, verá.
Deixo outra reflexão, tendo em vista meu caminho no ritual de Almas e Angola.
Trabalhamos o ano todo com os Orixás e com nossos guias (Caboclos, Boiadeiros, Pretos-velhos, Beijadas, Exus e Pombos Giras).
Na quaresma deixamos de trabalhar com os Caboclos, Boiadeiros e as Beijadas (crianças).
Porque não damos incorporações a estas entidades tão humildes e responsáveis por trabalhos de cura e desobsessão?
Existem várias tendas que durante a quaresma estão trabalhando com todos os guias.
Umas com os Boiadeiros, Pretos-velhos e Exús, outras com os Caboclos, Pretos-velhos e Exús, enfim, estão tendo mais consciência e mudando ou estão apenas seguindo as orientações de seus guias?
Devemos aproveitar o período de meditações e orações para pacificar nosso ser, buscando a humildade, a flexibilidade, a compreensão, o respeito ao ser humano, aperfeiçoamento-nos para que possamos ser mais humanos, generosos, gentis e amorosos.
Com carinho aos MESTRES, espeicalmente ao Mestre Jesus.
Axé de paz e luz!
Kátia Regina de Omulú

Fonte: http://fotolog.terra.com.br/turi:36